Publicado em Castelo de vidro, Posts

14 | ADVINHA QUEM VEIO PARA O JANTAR? – LIVRO 01 (CASTELO DE VIDRO)

"Solte ele"Pedi

“Solte ele”
Pedi.

“Calma Vitória, se for boazinha podemos dividir em partes iguais. Afinal é só mais um lanchinho”
Disse Jeane.

“O que está havendo? ”
Indaguei.

“Você me traiu”
Disse Dodge apontando o dedo para mim.

“Não me diga que está com ciúmes do nosso beijo? ”

“Não seja irônica. ”

“O que vocês são? ”
Perguntou Jack amedrontado.

“Você já vai saber”
Disse Jeane.

“Solte o”
Pedi mais uma vez.

“Está bancando a princesinha agora. Fazendo tudo da maneira correta. Enfiando verbena em seu corpo ”
Disse Dodge.

“Dodge eu não vou falar de novo. ”

“Está bem”
Ele se afastou. Jack levantou-se, Dodge correu e o jogou com muita força na parede da casa antiga de minha mãe.

“Não! ”

No mesmo instante eu ataquei. Ele me jogou ao chão e me deu vários socos. Senti o cheiro do sangue pairar ainda mais forte no ar. Levantei e lutei com Dodge, derrubei ao chão. Algo estava diferente ali. Eu ganhei uma imensa força. Com facilidade derrubei os outros dois vampiros e Jeane correu indo embora com medo de algo, mas eu não era tão má assim, era? Dodge levantou-se.

“Seus dias estão contados. ”
Ele ameaçou saindo.

“Afinal eu já fiz o que queria fazer”
Vi o sangue nas mãos de Jack e não pude controlar, meus olhos instantaneamente ficaram vermelhos, corri mas antes de alcanca-lo alguém me empurrou. Era o índio.

“Jack corra para casa! ”
Gritou o índio.

Ele obedeceu equanto o indio me segurou.

Lutei para fugir mas eu não queria machuca-lo.

“Vitória. Acalma. ”

“Você me traiu. Mentiu para min ”
Gritei.

“Eu não sabia que ela era isto. Não sabia de nada. ”
Ele por fim me soltou e eu não ouvia nem um rastro de Jack.

“Você é uma grande idiota. E quer saber de uma dane-se o livro e a vida daquele humano infeliz. Eu sempre matei e sempre gostei disso. Não vou deixar nenhum índio tirar minha identidade. Eu não tenho medo de você ”
Gritei saindo virando as costas.

“Deveria”
Disse ele enfiando uma estaca próximo ao meu coração.


Acordei acorrentada em uma floresta, a mesma que fui transformada, mas estava em lugar mais distante, com bastante fome. Estava com raiva de tudo e de todos. Queria matar aquele índio. Queria matar Jack, não fazia mais sentido mante-lo vivo. Ele era uma boa refeição por que não aproveitar? Eu não podia deixar ele fazer isso comigo. Não podia deixar ele ser meu ponto fraco. Antes de tudo tinha que sair daquela corrente e riscar o índio da minha lista.


Não demorou muito e ele logo apareceu.
Lutar e brigar com ele era inútil. Então fiz minha ceninha.

“Me ajuda. Tem algo errado. Por favor. ”

“Acho que já tenho uma resposta para isto”
Disse o índio.

“Impriting”
Completou ele.

“O que? O que é isto? ”

“Uma ligação. Entre vampiros ou lobos. Na língua dos humanos se chama amor”
Quanta baboseira pensei.

“Me ajuda. Ele está em perigo. Por favor.”

“Sim Vitória, ele está em perigo. O perigo é voce”
No mesmo instante algo atravessou a barriga do índio. Era uma estaca. Quem atirou foi Jeane que vinha logo atrás vestida impecavelmente desta vez com um sobretudo com um capuz na cabeça. Mesmo na floresta ela estava bem vestida. Ela olhou para mim com desaprovação e disse.

“Uma princesa de vestido preto”

"Uma princesa de vestido preto"


https://www.wattpad.com/story/48396079-cidade-para-vampiros-livro-01-vit%C3%B3ria

Continua…

”*Todos os direitos reservados
Plágio é crime”

Diga não ao plágio!
Lei 9. 610

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s